13/02/12

Começa a desintegraçom do BNG e os movimentos para recompor o campo nacionalista

Versión PDFVersión PDF
ei.jpg

Redaçom/ O grupo de Beiras decidiu ontem abandonar o Bloco, primeira das numerosas escisons que se adivinham nos próximos meses (PNG, EN e possivelmente Mais Galiza). Causa Galiza aplaudiu a decisom e chama a construir um referente “da esquerda soberanista”.

 

Após muitos avisos, Beiras rompe com o BNG

Depois de anos advertindo do risco de ruptura, o Encontro Irmandinho decidiu ontem, numha reuniom de cerca de 500 militantes, começar umha nova travesia fora das fileiras do BNG. O acordo foi tomado por aclamaçom, logo de um debate em que a prática totalidade das intervençons apostárom por esse caminho. Na sua resoluçom, anunciam que no sucessivo trabalharám na construçom de “umha frente ampla nacionalista, plural e com o centro de gravidade na esquerda”, para o qual esperam contar com o apoio de muitos setores diferentes, mas “nomeadamente as que partilhárom connosco no BNG a defesa da tese 'Novo Projeto Comum'”, quer dizer, o grupo social-democrata e possibilista de Carlos Aymerich.

 

Causa Galiza quer participar do novo projeto

A entidade de defesa do direito de autodeterminaçom, que agrupa diferentes partidos independentistas (OLN, MpB, FPG, FOG e PCPG), emitiu um comunicado assinado polo seu organismo executivo, a Comissom Técnica, em que aplaude a decisom do Encontro Irmandinho e anuncia o seu desejo de participar num projeto organizativo com as caraterísticas exprimidas por Beiras, isto é, “respeitosa com todas as sensibilidades soberanistas e independentistas, ampla, ligada aos movimentos sociais de base e anticapitalista”. Daí que Causa Galiza “abre conversaçons formais” com o EI “para explorar o processo de definiçom do novo referente político da esquerda soberanista”.

 

O difícil encaixe das peças

A desintegraçom do BNG abre a porta a novas reformulaçons do campo nacionalista, mas nom parece singelo antecipar o resultado deste processo. Partidos tam afastados na ideologia e na prática política como o reformista Mais Galiza, o liberal Partido Nacionalista Galego, o altermundialista Encontro Irmandinho ou os independentistas reunidos por volta de Causa Galiza teriam mui difícil conviver sob umha estrutura comum, quando nom os une muito mais que a rejeiçom à atual direçom do Bloco. Enquanto o Encontro Irmandinho dirige as suas propostas à asa direita do nacionalismo, mui reácia à estratégia baseada na autodeterminaçom e no anti-capitalismo, as organizaçons independentistas parecem ansiar umha unidade com o EI que dê folgos a umha opçom claramente rupturista.

Os próximos meses irám-se diluzidando estas interrogantes, até que o nacionalismo galego ache um novo ponto de equilíbrio com dous, três ou mais referentes políticos, ou entom continuará-se o processo de degradaçom em curso.

Outras noticias...

Nom há outras notícias

Publicidade