16/02/12

FPG abandona Causa Galiza

Versión PDFVersión PDF
fpg.jpg

Redaçom/ A cascata de cisons no nacionalismo continua. A FPG vem de tornar pública a sua decisom de abandonar Causa Galiza, a entidade que agrupava a maior parte do soberanismo galego. A Conferência Nacional celebrada o 4 de fevereiro em Compostela foi a que tomou esta decisom. Segundo explica o comité central numha nota de imprensa, deve-se a que Causa Galiza "deixou de cumprir o princípio estabelecido na sua constituiçom", isto é, ser simplesmente umha "plataforma que agrupasse e fortalecesse a consciência e a mobilizaçom arredor da Autodeterminaçom Nacional". Com o passar do tempo, segundo a FPG, a entidade soberanista "rematou por se converter numha simples expressom partidista", que aliás funcionaria por vezes de forma pouco democrática. Por esse motivo, a FPG desvincula-se "dos posicionamentos e das decisons organizativas e políticas acordadas" por Causa Galiza.

Este movimento, previsível desde há tempo pola pouca implicaçom que o partido de Abalo mantinha na entidade soberanista, acontece justo depois de que Causa Galiza tenha aplaudido a cisom do Encontro Irmandinho e anunciado a sua intençom de confluir num projeto político comum com ele. A FPG, pola sua parte, nom fijo pública nengumha posiçom concreta a respeito de umha eventual reformulaçom do nacionalismo, se bem é conhecida a sua aposta histórica por essa via. De momento, o comité central avisa de que trabalham "a prol de umha proposta que aglutine umha frente ampla, pluras e de equerda, tendo como referente primordial o conjunto das classes trabalhadoras galegas e a luita pola Autodeterminaçom".

 

O independentismo, de novo partido em três

Com este abandono, o independentismo regressa à atomizaçom. Nós-UP e FPG caminham em solitário, se bem a segunda procura alianças (ainda nom se sabe com que grupos), enquanto em Causa Galiza permanecem, fundamentalmente, a OLN e o MpB, que à sua vez esperam confluir com o coletivo de Beiras. Anunciam-se meses de movimentos, confluências e rupturas, até que o nacionalismo político encontre um novo equilíbrio.

Outras noticias...

Nom há outras notícias

Publicidade