O Cazaquistão Coloca os Olhos no Top-3 Spot para a Mineração Global Bitcoin

A eletricidade barata do país pós-soviético tem atraído mineiros Bitcoin, mas será que ele conseguirá cotovelar a Rússia e os Estados Unidos?

O Cazaquistão está se tornando um destino importante para os mineiros de Crypto Genius (BTC) que buscam eletricidade barata no mercado pós-alavancagem, impulsionado por margens mais finas. De acordo com relatórios recentes, o país rico em petróleo da Ásia Central espera que a quantidade total de dinheiro investido nas operações locais de mineração criptográfica duplique até o final de 2020 e atraia US$ 738 milhões durante os próximos três anos.

Ao contrário de outros países da Ásia Central, o governo do Cazaquistão legalizou de fato a mineração criptográfica, o que torna o mercado mais atraente para os agentes locais e estrangeiros. Então, esta vasta terra semidesértica poderia se tornar o novo ponto de partida para os mineiros da BTC?

Da proibição de criptografia geral à legalização

O governo cazaque adotou recentemente uma abordagem geral amigável ao criptograma, embora ainda haja pouca clareza regulatória sobre o assunto. Entretanto, os desenvolvimentos positivos foram precedidos por turbulências regulatórias e, em algum momento, seu banco central chegou ao ponto de sugerir uma proibição geral das moedas criptográficas.

No início de 2018, o presidente do Banco Nacional do Cazaquistão, Daniyar Akishev, declarou que sua agência estava considerando a proibição de todas as moedas criptográficas. Apenas alguns meses depois, o presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, solicitou uma cooperação global na regulamentação da criptografia, mas não mencionou se esta regulamentação deveria encorajar o crescimento do setor ou sua contenção.

Anteriormente, em 2017, o Centro Financeiro Internacional Astana, apoiado pelo governo do Cazaquistão, assinou um acordo com a empresa Exante, sediada em Malta, para desenvolver o mercado de ativos digitais do Cazaquistão, enquanto o banco central anunciava que estava considerando o uso de blockchain para vender notas de dívida de curto prazo aos investidores.

As coisas começaram a parecer mais concretas e positivas para os mineiros criptográficos locais em 2019. Em dezembro do ano passado, a mídia local informou que os legisladores do Cazaquistão não estariam tributando a mineração de moeda criptográfica até que os ativos minerados fossem trocados por fiat money, pois a mineração criptográfica não seria tratada como uma atividade empresarial, mas sim como um „processo puramente tecnológico“.

Um projeto de lei recente, que foi aprovado pelo Senado do Cazaquistão e assinado por Nazarbayev no início de junho, essencialmente legaliza a mineração, dizendo que as pessoas envolvidas na mineração digital são obrigadas a informar as autoridades sobre suas atividades. Também enfatiza que os mineiros são os proprietários legais dos bens digitais que produzem.

Didar Bekbauov, fundador do mercado de mineração criptográfica Xive – uma empresa local que presta serviços de hospedagem para mineiros internacionais de grande escala – e que trabalhou anteriormente na Hive Blockchain, disse à Cointelegraph que a regulamentação atual não é rigorosa, mas enfatizou que a estrutura ainda não foi finalizada: „O projeto de lei diz que os mineiros precisam informar [o] governo sobre suas atividades“. Mas ninguém ainda sabe como será na prática“. Além disso, nenhuma regulamentação“.

A eletricidade barata atrai jogadores estrangeiros

De acordo com Bekbauov, os principais atores da mineração no Cazaquistão são empresas estrangeiras da China, Japão e „outros países asiáticos“. Há também a Genesis Mining, uma empresa internacional de mineração em nuvem com fazendas localizadas em vários países, e a Bitfury, outra potência mineradora não chinesa com sede em Amsterdã.

„Eles são mineiros com experiência, alguns fundos privados, investidores privados“, disse Bekbauov sobre as companhias mineradoras no Cazaquistão. O fundador da Xive acrescentou que cerca de 90% de suas atividades de mineração são realizadas na cadeia de blocos Bitcoin, e ele disse que a chegada de empresas estrangeiras não dificulta as operações locais de mineração de mãe e pop, já que o Cazaquistão „ainda tem excesso de geração de eletricidade“.

Portanto, a principal atração para os mineiros não é o marco regulatório, que ainda permanece ambíguo apesar de alguns desenvolvimentos positivos, mas sim as taxas de eletricidade anormalmente baratas. Em dezembro de 2019, o preço da eletricidade no Cazaquistão era de US$0,041 por quilowatt-hora para residências e US$0,049 para empresas. Para comparação, o preço médio da eletricidade nos Estados Unidos é de US$0,14, embora alguns estados como o Texas pareçam estar oferecendo preços competitivos sob certas condições.

O preço da eletricidade sempre foi um dos principais fatores quando se trata de mineração de moedas criptográficas, mas se tornou ainda mais importante depois que a redução pela metade do bitcoin ocorreu em maio. A redução pela metade levou os mineiros a vender seus equipamentos ou a se mudarem para regiões com eletricidade mais barata como o Cazaquistão, Rússia, Oriente Médio e América do Sul.

Junto com a abundância de eletricidade barata, a posição geográfica do Cazaquistão também o torna „um foco de crescimento rápido para a mineração Bitcoin“, segundo Thomas Heller, diretor de negócios globais da F2Pool, que também disse à Cointelegraph:

„O Cazaquistão está localizado em um local ideal para a mineração“. O clima é frio e está muito próximo da China“. Está se tornando um local popular para os mineiros chineses mudarem máquinas antigas da China para o Cazaquistão para aproveitarem os preços mais baratos da eletricidade fora da estação hidrelétrica de Sichuan“.

Bekbauov disse que a maioria das operações de mineração locais está localizada em regiões com alta geração de eletricidade – como Ekibastuz, Karagandy, Pavlodar e Taraz – enquanto o país tem um bom clima geral para mineração criptográfica durante a maior parte do ano. Dmitrii Ushakov, diretor comercial da BitRiver – um importante fornecedor de serviços de co-localização para a mineração Bitcoin na região da Comunidade dos Estados Independentes – confirmou que os preços da eletricidade barata no Cazaquistão estão atraindo os investidores, dizendo à Cointelegraph: „Os mineiros podem atualmente encontrar preços de eletricidade muito atraentes para a mineração no Cazaquistão e em alguns outros países da ex-União Soviética. Esta é a principal razão do atual interesse pela mineração no Cazaquistão“.

Entretanto, Ushakov acrescentou que não há „nenhum pré-requisito natural para eletricidade barata no país“, pois ela é produzida principalmente por usinas elétricas alimentadas a carvão. Ele elaborou, expandindo alguns outros inconvenientes da mineração sediada no Cazaquistão, a saber, uma situação geral instável na região e a segurança inadequada das fazendas de mineração locais:

„Isto é arriscado porque os mercados e outros fatores que afetam o preço de tal eletricidade dentro de uma nação podem mudar rapidamente“. Outro aspecto que deve ser considerado aqui é a segurança desses locais de mineração, que muitas vezes são criados em um tempo muito curto, utilizando infra-estrutura pré-existente que é antiga e não confiável“.

O Cazaquistão se tornará um dos três principais destinos da mineração?

No mês passado, o ministro do desenvolvimento digital, inovação e indústria aeroespacial do Cazaquistão, Askar Zhumagaliyev, anunciou que o departamento está planejando atrair 300 bilhões de tenge, ou US$ 738 milhões, de investimentos até 2023 para atividades relacionadas à mineração de moeda criptográfica.

Os ambiciosos planos de mineração do Cazaquistão podem parecer surpreendentes no início, mas o país tem algumas estatísticas para apoiá-los. De acordo com Zhumagaliyev, existem atualmente 14 fazendas de mineração de moedas criptográficas que já trouxeram aproximadamente US$201,7 milhões de investimentos combinados.

Além disso, o Mapa Mineiro Bitcoin desenhado pelo Centro de Finanças Alternativas de Cambridge na Escola de Negócios Judge da Universidade de Cambridge mostra que os países da região da CEI juntos compreendem a quarta maior região de mineração criptográfica do mundo. No segundo trimestre de 2020, a mineração no Cazaquistão terá representado cerca de 6,17% da taxa média mensal de hash Bitcoin, que está apenas ligeiramente atrás da Rússia (6,9%) e dos Estados Unidos (7,24%), enquanto a China continua sendo o rei indiscutível (mais de 65%). Alejandro De La Torre, vice-presidente da piscina mineira Poolin, concordou que sob certas condições, o Cazaquistão poderia se tornar o terceiro maior país em um futuro próximo:

„Com a abundância de preços elétricos baratos, temperaturas amenas e a abordagem ‚mãos-livres‘ dos governos em relação à mineração, eu realmente prevejo que o Cazaquistão se torne um destino de mineração criptográfica top-3“.

Outros especialistas são mais céticos. Ushakov da BitRiver argumentou que embora os preços baixos da eletricidade sejam uma vantagem sólida para o Cazaquistão na corrida de mineração, a região em si não é suficientemente estável para testemunhar um crescimento significativo:

„Embora os baixos preços da eletricidade façam do Cazaquistão um destino quente para a mineração, acreditamos que a China, a Rússia e os EUA continuarão a ser os três principais destinos de mineração do mundo por causa dos crescentes investimentos em mineração, políticas energéticas previsíveis e um ambiente político e econômico mais estável para a mineração“.

Kristy-Leigh Minehan, consultora de mineração e ex-chefe de tecnologia da Core Scientific, disse à Cointelegraph que ela não espera que o Cazaquistão se torne um destino top-3 em breve devido a uma aparente falta de interesse dos atores institucionais: „A mineração Bitcoin está se tornando o destino de investimento institucional que busca uma base de ativos alternativa; muitos ainda são muito tímidos com relação à política do Cazaquistão“.

Sorry Bulls, Bitcoin wird noch nicht parabolisch: Hier ist der Grund

Mitte 2019, als Bitcoin aufgrund des durch das Market FOMO verursachten Kaufdrucks unter den Anlegern gerade über 10.000 USD angestiegen war, befanden die Analysten BTC wieder am Rande des Parabolismus.

Aber nach einer einfachen Analyse eines einfachen Indikators ist diese Rallye nicht hier. Zumindest noch nicht hier

Sie sehen, nach einem Jahr des brutalen 80-prozentigen Rückgangs in einer Periode, die heute als „Crypto Winter“ bekannt ist und BTC auf 3.150 US-Dollar brachte, waren die Anleger bereit für ein wenig Sonnenlicht. Die 300% -Pumpe, die in sechs Monaten stattfand, war wie hier zu sehen genug, um die Anleger davon zu überzeugen, dass Bitcoin sich von fünf Ziffern und „Mond“ verabschieden würde.

Aber in klassischer Kryptowährung tankte BTC, wobei der Preis bis Dezember letzten Jahres um 50% auf ein Tief von 6.400 USD fiel. Aber seit dem Tiefpunkt hat die führende Kryptowährung um über 30% zugelegt, und emotionale Anleger können erneut von einer Parabelbewegung sprechen , die Bitcoin über 100.000 US-Dollar bringen wird.

Bitcoin immer noch unter der Schlüsselebene

Der Cryptocurrency-Händler Coiner Yadox stellte kürzlich fest, dass die langfristigen Phasen von Bitcoin bei Bullen und Bären immer leicht durch den einwöchigen Relative Strength Index (RSI) definiert wurden.

10 BTC & 20.000 Freispiele für jeden Spieler in mBitcasinos Winter Cryptoland Adventure!
Wie er in der folgenden Grafik zeigt, blieb der RSI immer über 55, wenn sich Bitcoin auf einem Bullenmarkt befand, und sprang mehrmals von diesem wichtigen Niveau ab, um BTC zu ermöglichen, neue Allzeithochs zu erreichen. Das Gegenteil ist auch wahr.

Bitcoin

Wo steht Bitcoin jetzt?

Laut Yadox-Chart liegt der wöchentliche RSI bei 54 unter 55, was bedeutet, dass der jüngste Anstieg des Bitcoin-Marktes nicht ausreicht, um die Kryptowährung auf Makro-Basis in einen Bullenmarkt zu zwingen.

Damit BTC den Bullenmarkt bestätigen kann, muss sein wöchentlicher RSI einen Schlusskurs über der Schwelle von 55 erzielen, was eine weitere Aufwertung des Marktes für Kryptowährungen erforderlich machen würde.

Kann es durchbrechen?

Kann Bitcoin das auch? Können die Preise in dieser Woche oder in den nächsten Wochen genug steigen, um es dem wöchentlichen RSI zu ermöglichen, einen Schlusskurs oder mehrere Schlusskurse über dem Niveau von Schlüssel 55 zu drucken? Sicherlich, so eine Reihe von Analysten.

Dave the Wave, der Cryptocurrency-Händler, der Mitte 2019 den dramatischen Rückgang von Bitcoin um 50% auf 6.400 US-Dollar ankündigte, sagte, dass mit dem letzten Schritt von BTC der Preis über einem wichtigen Abwärtskanal eingebrochen ist, der die Preisbewegung seit etwa sieben Monaten eingeschränkt hat Laut einer von ihm durchgeführten Wellenanalyse könnte BTC bis Ende dieses Monats oder Anfang Februar auf 10.000 USD zulegen.

In einem separaten Tweet / einer separaten Analyse wies er darauf hin, dass die wöchentlichen RSI- und MACD-Indikatoren von Bitcoin Ende Oktober mit einer ähnlichen Formation identisch waren, bevor ein massiver BTC-Anstieg die Kryptowährung in den wenigen Wochen um Dutzende Prozent anstieg.