Ludmila Castro 17/03/14

Tribunais especiais, penas de prisom e atitudes militantes

 Os acontecimentos sucedidos nas últimas semanas em relaçom à defesa de independentistas galegos na Audiência Nacional trougérom aos foros militantes um debate a respeito de que estratégias jurídicas som politicamente legítimas ou legitimáveis neste tribunal.

E se em vez de Adela e Maria foram Mariano e Alfredo?

 Duas assassinadas em Cervo, consternaçom. Concentraçons -nas que estaremos-, e que mais? Evidentemente nom estamos à espera de funerais de Estado, de loito oficial, de medidas exemplarizantes. Mas tocará ao feminismo e aos movimentos populares dizer um abonda com maiúsculas. Haverá que reunir-se, parar-se a falar disto como ponto principal da ordem do dia de umha vez. Exprimir as ideias e as capacidades, derrochar forças e por pura necessidade, enfrentar o feminicídio com algo mais que pancartas.
Publicidade